As diferenças entre as direções hidráulica, elétrica e eletro-hidráulica

Já há uma década no mercado, as direções hidráulicas dominaram o mercado e também estão presentes nos modelos de entradas das montadoras. Porém, com a evolução das tecnologias novos tipos surgiram como a elétrica e a eletro-hidráulica, assim, muitos consumidores ficam sem saber suas diferenças e os cuidados que cada um precisa. Mesmo que a função seja a mesma para todas, diminuir o esforço dos motoristas com a direção, cada sistema possui uma necessidade e manutenções diferentes.

Direção hidráulica

A direção hidráulica foi a pioneira no mercado ao trazer um sistema que facilitava a vida do motorista. Ela funciona com um bomba hidráulica que é movimentada pelo motor do carro, pressurizando o circuito de fluídos, reduzindo assim a força necessária para a movimentar a direção. 

O sistema exige alguns cuidados e manutenções, geralmente relacionados aos fluidos do circuito. Dessa forma, o motorista precisa ficar muito atento aos prazos de troca, caso os prazos não sejam respeitados o óleo pode acabar oxidando, perdendo suas propriedades e deixando exposto os componentes para maior desgaste, Os prazos podem ser conferidos no manual do proprietário. Também é importante monitorar o nível do fluído, pode ser feito no próprio reservatório, normalmente, não há grandes variações. 

Também é recomendado que o motorista não fique forçando o volante no fim de seu curso. Uma vez que, nesse ponto a pressão do óleo do sistema chega no seu nível máximo, causando assim um esforço desnecessário.

Direção elétrica

A direção elétrica funciona de maneira diferente, sem fluídos e feita por um motor elétrico. O sistema é composto por uma série de sensores que direciona as informações para um módulo eletrônico que comanda o motor de acordo com o giro do volante.

Por ser um sistema mais tecnológico, tem algumas vantagens em relação à hidráulica, como a ausência de fluídos e suas trocas. Outro diferencial é que o sistema não sofre com sobrecarga ou pressão excessiva quando o volante atinge o limite do batente. 

Contudo, ele ainda precisa de alguns cuidados. O sistema diminui a sensibilidade do volante em relação a obstáculos, como o meio fio e até mesmo valas. Assim, o motorista muitas vezes pode não perceber que atingiu algo, ou em manobras de estacionamento, pode atingir a guia e continuar forçando as rodas contra ela, causando estragos nelas.

Apesar de não haver necessidades de trocas, a direção elétrica possui recursos de detecção de falhas, que avisam no painel do carro. Dessa maneira, quando a luz acender o motorista não pode ser negligente e procurar mais rápido possível uma oficina. 

Direção eletro-hidráulica

Esse sistema é muito similar ao da hidráulica, a grande diferença é a substituição da bomba hidráulica por um motor elétrico. Ou seja, funciona também com um sistema fechado de fluídos mas substituindo a bomba pelo motor elétrico. Como o sistema não depende da rotação do motor, o consumo de combustível é reduzido, além de ser mais confortável para o motorista. 

Assim, as recomendações e cuidados são os mesmos da hidráulica. Ficar atento com os prazos para a troca dos fluídos e não forçar o volante no fim do batente.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *